(11) 3168-6408

Entre em contato com a gente

Prevenção de quedas em idosos

Escrito por Stannah em 06-01-2021

De acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC), nos Estados Unidos 2,5 milhões de pessoas com mais de 65 anos recebem tratamento de emergência a cada ano devido a uma lesão sofrida por uma queda. Uma em cada cinco quedas em idosos causa ferimentos graves, como fratura de quadril ou traumatismo craniano, resultando em mais de 750.000 hospitalizações. Devido à inflação, os custos médicos diretos para lesões por queda são de aproximadamente US$ 34 bilhões anuais. Ou seja, as quedas em idosos são graves para a saúde e também caras.

O que acontece depois de uma queda?

Chamamos de lesão grave aquela que impede o idoso de se locomover com autonomia, realizar atividades cotidianas ou até mesmo morar sozinho. Essa situação afeta um em cada cinco idosos que caem.

As quedas costumam causar danos aos ossos em áreas comuns, como pulso, braço, tornozelo e quadril. Elas também são a principal causa de lesões na cabeça entre os idosos. Esse problema é agravado se a pessoa estiver tomando certos medicamentos, como anticoagulantes. Se um ente querido idoso bater a cabeça, procure atendimento médico imediatamente.

Aqueles que não se machucam frequentemente desenvolvem o medo de cair. Esse medo pode causar uma redução no desempenho das atividades diárias. Menos movimento enfraquece o idoso e aumenta suas chances de cair.

Indicadores de possíveis quedas futuras

As condições que podem levar a uma queda são chamadas de fatores de risco de queda. Identificar esses fatores de risco para quedas é o primeiro passo nas medidas de prevenção. A maioria das quedas resulta de uma combinação de fatores de risco. Quanto mais fatores de risco uma pessoa possui, maior o risco de queda.

Alguns exemplos incluem:

  • Fraqueza ou dificuldade nas pernas para caminhar e se equilibrar
  • Deficiência de vitamina D
  • Problemas de visão
  • Dor no pé ou calçado impróprio
  • Riscos em casa (tapetes, bagunça, sem corrimãos, etc.)

Pontos a seguir para a prevenção de quedas em idosos:

-Fale com um médico

Uma conversa com o médico ou profissional de saúde permitirá que seus entes queridos avaliem seu risco e discutam medidas preventivas. Um médico ou farmacêutico também poderá indicar certos medicamentos que podem causar sonolência ou tontura. Certifique-se de falar também sobre o aumento da vitamina D por meio de suplementos.

– Testes de visão anuais

Um check-up anual com o oftalmologista garantirá que a pessoa possa ver corretamente e reduzirá as chances de queda devido à visão deficiente.

-Exercícios de força e equilíbrio

Incentive os idosos da família a fazer exercícios que sejam focados no fortalecimento da parte inferior do corpo e na melhoria do equilíbrio, como costas, quadris e pernas. Isso ajudará não só a prevenir quedas, mas também a ter uma vida mais saudável, ou seja, a ter uma qualidade de vida melhor.

-Faça sua casa mais segura

  • Elimine qualquer objeto em sua casa que possa representar um perigo na escada
  • Instale barras de apoio em qualquer lugar que você precise andar ou ficar de pé (ou seja, fora da banheira e do chuveiro e / ou próximo ao banheiro)
  • Prenda os corrimãos em ambos os lados da escada
  • Aumente o número de luzes em sua casa, bem como a potência de cada lâmpada, se possível, para garantir que a casa fique bem iluminada.

Uma queda pode ser um momento terrível para uma pessoa idosa. Felizmente, existem medidas de prevenção de quedas que podem ser aplicadas para ajudar a evitar essas situações.

Para maior segurança, considere a instalação de uma cadeira elevatória Stannah. Com uma cadeira da Stannah, você pode ter certeza que os mais velhos da sua família se movimentarão pela casa com segurança e independência. Investir na prevenção de quedas é investir na qualidade de vida de toda a família.